macromicro
Macro-Micro Lutzenberger
21 de junho de 2017
umfotograma
Um Fotograma
19 de junho de 2017

Tique-taque, tremor das pequenas coisas

tiquetaque
Tique-taque, tremor
das pequenas coisas | 2004

Segurar um passarinho
na concha meio fechada da mão é terrível,
é como se tivéssemos os instantes trêmulos na mão.
(Clarice Lispector)

(...)Leandro Selister nos mostra o movimento das coisas de dentro da casa. Determina cortes precisos. Fixa instantes para apertar o botão e congelar cada cena. Quebra a seqüência natural do tempo. O que acontece entre um minuto e outro, um segundo e outro, é o mistério da vida encerrado talvez nas frações imperceptíveis de uma outra dimensão de tempo que não percebemos. Não se trata aqui da representação real em 24 quadros por segundo. O fotógrafo cria a seqüência de instantes conforme um ritmo particular, seu modo de perceber a natureza em constante transformação. De dentro da casa, Leandro Selister torna-se uma espécie de guardião do tempo, vigia cada movimento do mundo como um voyeur atento e cuidadoso.

Em frente a sua janela, um sabiá insiste em construir seu ninho sobre um pedaço de calha de alumínio. Para não ser percebido, durante quase três meses o fotógrafo registra as peripécias do passarinho através de uma pequena abertura improvisada entre papéis colados sobre as vidraças. Mas a calha, dura e lisa, não prende direito os galhos e o ninho incipiente cai e se desfaz muitas vezes. Movido pela força da vida e da esperança, o bichinho, como num trabalho de Sísifo, reconstrói árdua e inutilmente sua morada até que os vizinhos colocam um arame para que os galhos fiquem presos à calha. O pássaro pode finalmente chocar seus ovos com segurança. A chegada dos filhotes é esperada com entusiasmo. Aos poucos, três bicos quase imperceptíveis surgem do ninho para receber o alimento e descobrir a luz. Ao cabo de alguns dias, apenas um dos recém-nascidos sobrevive.

Como medir no tique-taque do relógio a pulsação do corpo, matéria elástica, fragilidade do instante que nos liga à vida?(...)

Teresa Poester, artista plástica, Janeiro/2004

Ainda no ano de 2004, é lançado pela Escritos Editora de Porto Alegre, o livro Tique-taque, tremor das pequenas coisas. Em 2014 é lançada a segunda edição com o texto traduzido para o espanhol e inglês pela mesma editora.